Documentarista dá palestra na PUC-SP – Mariana Araujo

Jorge Bodanzky conduz palestra na 32ª Semana de Jornalismo

      Na última quarta-feira, 26 de maio, ocorreu a palestra do documentarista Jorge Bodanzky na 32ª Semana de Jornalismo na PUC de São Paulo. A palestra foi, de acordo com Bodanzky, “uma troca de dupla via”, onde ele ensinou os alunos e estes o ensinaram.

     Comentou como o cinema documentário vive um tempo novo, pois antes era extremamente complexo, mas com o barateamento da tecnologia, como as câmeras de vídeo, agora presentes até em celulares, o processo para a criação de um documentário foi democratizado.

      “O documentário vive uma fase de ouro”, disse Bodanzky, e para ele essa democratização é boa, mas não tornou o processo de filmagem de um documentário fácil. Afirmou, ainda, que a questão tecnológica é secundária, pois o interessante é o resultado.

     Para a criação de um documentário é necessário uma idéia bem definida a fim de tornar o processo de filmagem focado e não filmar imagens genéricas e depois, a partir da edição, decidir o tema.

     Para Bodanzky “a câmara sozinha nada faz”, ou seja, essa tecnologia democratizada não vulgariza o trabalho nem diminui a preparação, pois com uma idéia forte o filme certamente ficará apresentável.

     Um de seus mais recentes trabalhos foi a criação da TV navegar, que é uma web TV que está no ar e cujo foco é sócio ambiental, partindo especificamente da região amazônica. A partir de colaborações os vídeos são realizados e postados na web TV. Seu maior desejo seria fazer uma transmissão ao vivo através da web.

     A TV navegar tem um projeto que leva acesso à internet de banda larga até as comunidades ribeirinhas através de um barco de pequeno porte, já que esse serviço nestas regiões é muito limitado. “Ninguém dá voz às pessoas que lá moram e este projeto ajuda a ouvir as comunidades locais” disse Bodanzky.

     Ao longo da palestra Bodanzky exibiu parte do documentário “Terceiro Milênio”, de 1979, onde percorre o Rio Amazonas e que foi filmado durante a campanha eleitoral do concorrente a senador Evandro Correira.

     Quando o palestrante voltou à Amazônia recentemente, mostrou o documentário “Terceiro Milênio” para a comunidade indígena dos Ticunas, daí surgiu a idéia para um novo filme, que se chama “De Volta ao Terceiro Milênio”.

     Foi exibido também parte de seu filme mais recente, que foi uma encomenda feita pela TV Cultura, sobre o aquecimento global, extraído do programa “Café Filosófico”. Daí surgiu o filme “Pandemonium” de apenas 50 minutos, divulgado na conferência de Copenhague do ano passado. Esse filme mostra o caos da cidade moderna e contém entrevistas de dois cientistas sobre o tema narrado.

     No documentário há realce das imagens relacionando-as com a trilha sonora composta por ruídos e música. Uma imagem meio fantasiosa com contraste de cor e acompanhamento da música leva à reflexão, portanto a raras partes faladas do filme dão asas à imaginação do espectador.

     Antes do encerramento da palestra, em um dos blocos de perguntas feito pelos alunos do curso de jornalismo o palestrante foi questionado sobre até qual ponto ele deixa de interferir nas imagens filmadas, como uma questão ética. “Acho que você faz parte do que está filmando. Acho errado falar que não tenho a ver com a situação, pois é impossível se colocar fora dali” disse Bodanzky.

Anúncios

~ por Cult SP em 17/06/2010.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: